Laje Protendida

A utilização de lajes protendidas tem crescido cada vez mais no país e principalmente no estado do Espírito Santo, já considerado o maior consumidor per capita de cabos do Brasil.  Este fato se deve ao pioneirismo dos calculistas capixabas em buscar, em outras esferas, soluções que visam facilitar a execução e diminuir sensivelmente o prazo e a utilização de mão de obra tradicional e artesanal (carpintaria).

A protensão do concreto é realizada por meio de cordoalhas engraxadas que associadas a armadura da laje reduzem as tensões de tração, criando um elemento estrutural plano com uma resistência tal que suprimi a utilização de vigas e reduzem a área de fôrmas.

Os cabos de protensão são cortados de acordo com a especificação de projeto e possuem identificação própria ao serem entregues, facilitando a localização dos mesmos durante a montagem da laje.

A operação de protensão é realizada por um macaco hidráulico que, apoiado na borda da laje estica as cordoalhas até que estas atinjam a força especificada no projeto.

Abaixo podemos observar um quadro comparativo com as vantagens e desvantagens da laje protendida em a laje convencional:

Recentemente, a empresa Arcos Engenharia Ltda, executou uma laje protendida de 3.200 m² no município de Fundão, Espírito Santo. As fotos abaixo mostram o andamento da obra.

                              

Os empreendimentos da Vitória Partners, também contam com esse sistema construtivo. Abaixo é possível observar a montagem da laje do Edifício Machado de Assis, em Jardim Camburi.